sábado, 2 de fevereiro de 2019



IBRI participa de nova edição do Programa TOP da CVM


O IBRI (Instituto Brasileiro de Relações com Investidores) participou do XX Programa TOP do Comitê Consultivo de Educação da CVM (Comissão de Valores Mobiliários). O curso foi realizado entre os dias 28 de janeiro e 1º de fevereiro de 2019, na B3, em São Paulo (SP).

O Programa tem como objetivos promover a atualização de conhecimentos relativos ao mercado de capitais, além de criar um canal permanente de comunicação e relacionamento entre as instituições do Comitê e os professores, divulgando a atuação de cada entidade e o apoio que pode ser prestado ao docente. Também busca contribuir para o desenvolvimento de multiplicadores, junto a Instituições de Ensino Superior, que repassem as informações recebidas para os alunos.

No XX Programa TOP do Comitê Consultivo de Educação da CVM, Bruno Salem Brasil, conselheiro de Administração do IBRI, realizou palestra para apresentar aos participantes os principais temas relacionados aos profissionais de Relações com Investidores, bem como o trabalho que o IBRI realiza. A palestra ocorreu no dia 1º de fevereiro de 2019, das 9 horas às 11 horas. Em seguida, das 11:30 às 12:30, aconteceu palestra de Helmut Bossert, coordenador do CODIM (Comitê de Orientação para Divulgação de Informações ao Mercado) pelo IBRI.

O programa TOP tem como público-alvo: os professores vinculados a Instituições de Ensino Superior, de graduação ou pós-graduação, que lecionem ou tenham lecionado disciplinas relacionadas ao mercado de capitais.

Mais informações:

Rodney Vergili
Digital Assessoria-Comunicação Integrada
Fones (11) 5081-6064 / + 55 (11) 9 9123-5962
rodney@digitalassessoria.com.br


quinta-feira, 10 de janeiro de 2019


Consultor defende manutenção do Simples e aumento de acessibilidade ao crédito


Francisco José Turra, consultor e professor universitário, defende a continuidade do sistema Simples de tributação de micro e pequenas empresas, além de aprimoramento de acessibilidade ao crédito. O “fim” do Simples (regime tributário diferenciado, simplificado e favorecido) prejudicaria seriamente dois terços das atuais empresas optantes, afirma Turra.

Para o consultor, o ministro da Economia Paulo Guedes deveria tomar medidas que promovam acessibilidade ao crédito para as micro e pequenas empresas por parte de instituições oficiais, como Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento, Econômico e Social), e até mesmo ampliar o Simples Nacional, que atualmente é restrito a empresas de pequeno porte com receita bruta anual de até R$ 4,8 milhões, como uma medida para a aguardada reforma fiscal e aumentar a geração de empregos.

O consultor diz que pesquisa realizada pelo SEBRAE (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) - por meio de entrevistas telefônicas com 5.910 donos de pequenos negócios - mostra que “apesar da avaliação positiva do Simples por parte das empresas optantes, 64% acreditam que o sistema pode ser melhorado, 26% não avaliam possibilidade de melhora e 10% não sabem”.

O estímulo às pequenas empresas está inclusive “no rol de preceitos constitucionais de incentivo ao desenvolvimento econômico” e geração de empregos, declara Turra.

Já existem no país mais de 11 milhões de micro e pequenas empresas e a estimativa é de que sejam criadas mais de 6 milhões até 2022, afirma Turra, sócio da Aggrego Consultores e doutorando em Administração (PUC-SP).

Dois terços das empresas optantes do Simples enfrentariam “sérias consequências com o fim do programa; 29% encerrariam as atividades; 20% iriam para a informalidade; e 18% reduziriam os negócios e as demais tentariam sobreviver”, observa.

Pesquisa do SEBRAE ainda revela que 76% dos empresários consideram o Simples ótimo ou bom; 18% regular; 3% ruim; e 3% não sabem. Os dois principais benefícios do Simples são: saber se a empresa está em dia com suas obrigações (89%) e a redução dos impostos (83% dos entrevistados). Os demais benefícios: 82% saber quanto a empresa paga de imposto; 80% reduzir a burocracia; 76% aumentar a formalização dos negócios; 67% diminuir as obrigações acessórias; 65% ajudar na formalização dos empregados; 65% ampliar o faturamento; e 53% aumentar o número de empregados.

Crédito - Há avanço nas simplificações burocráticas e de custos administrativos, tributários e trabalhistas para as micro e pequenas empresas. Turra afirma que, mesmo assim, “merecem atenção medidas que promovam acessibilidade ao crédito”, por parte de instituições oficiais, o Banco Central, e bancos privados.

No mesmo sentido de evolução de estímulo a micro e pequenas empresas e ao desenvolvimento econômico, deve-se buscar o aperfeiçoamento ininterrupto do Simples, como, por exemplo, ajustes nos limites de faturamento para enquadrar as empresas, conforme a evolução do próprio sistema e da realidade econômica brasileira, conclui Turra.


Digital Assessoria-Comunicação Integrada
Rodney Vergili / Rafael V.Pereira / Natália Martins
Fones (11) 5081-6064 / (11) 9 9123-5962
rodney@digitalassessoria.com.br



quinta-feira, 27 de dezembro de 2018


Vídeo com resultados da pesquisa Deloitte "Agenda 2019"





Segue o link para o vídeo:

https://bit.ly/2GISgBe



Renata Oliva Battiferro, vice-presidente do IBRI (Instituto Brasileiro de Relações com Investidores), participa de entrevista para vídeo sobre pesquisa da Deloitte “Agenda 2019”.

“O resultado da pesquisa é positivo, com boas perspectivas para o ano de 2019, em termos de retorno das aberturas de capital, dos investimentos e do aumento do emprego”, declara Renata Oliva Battiferro.

Seguem informações sobre a pesquisa:

http://www.ibri.com.br/…/Arq…/novidades/4057_Agenda-2019.pdf

http://www.ibri.com.br/Upload/Arquivos/novidades/4059_Veja_os_graficos_da_pesquisa_Deloitte.pdf

sexta-feira, 14 de dezembro de 2018



IBRI realiza Jantar de Confraternização

O IBRI (Instituto Brasileiro de Relações com Investidores) promoveu seu tradicional Jantar de Confraternização, em 12 de dezembro de 2018, no Radisson Hotel Paulista, em São Paulo (SP).
O evento contou com a honrosa presença de Marcelo Barbosa, presidente da CVM (Comissão de Valores Mobiliários), que discorreu, em seu discurso, sobre a implementação da primeira fase do Projeto Estratégico de Redução de Custo de Observância.

Veja mais informações no link abaixo:

O Conselho de Administração, a Diretoria Executiva, associados, colaboradores do Instituto e representantes de diversas entidades celebraram o fim dos trabalhos deste ano e início de novo ciclo.

Legenda da foto:





















Marcelo Barbosa, Presidente da CVM (Comissão de Valores Mobiliários)

sábado, 8 de dezembro de 2018


IBRI e PwC Brasil realizam workshop “CVM 586: Pratique ou Explique”

O IBRI (Instituto Brasileiro de Relações com Investidores) e a PwC Brasil realizam o workshop “CVM 586: Pratique ou Explique", que ocorrerá, no dia 10 de dezembro de 2018, das 08:30 às 12:00, na sede da PwC Brasil, em São Paulo (SP).
No encontro, a PwC Brasil apresentará os resultados da pesquisa que mapeou como as empresas estão seguindo as práticas definidas pelo "Código Brasileiro de Governança Corporativa - Companhias Abertas", conforme Instrução CVM 586, de 08 de junho de 2017.

Com 95 empresas listadas nos índices IBrX-100 e Ibovespa participando da pesquisa, as conclusões permitem verificar se as companhias seguiram as 54 práticas previstas no Código, ou se optaram por justificar os motivos da não adoção.

Serviço:
Data: 10 de dezembro de 2018 (segunda-feira)
Horário: 08:30 às 12:00
Local: PwC Brasil - Experience Center
Avenida Francisco Matarazzo, 1.400 - Água Branca - São Paulo - SP


Assessoria de Comunicação do IBRI (Instituto Brasileiro de Relações com Investidores)
Digital Assessoria-Comunicação Integrada
Rodney Vergili / Rafael V. Pereira / Jennifer Almeida / Natália Martins
Fones (11) 5081-6064 / + 55 (11) 9 9123-5962


sexta-feira, 7 de dezembro de 2018


IBRI realiza webinar sobre alternativas para ampliar cobertura de analistas

O IBRI (Instituto Brasileiro de Relações com Investidores) realizou, em 05 de dezembro de 2018, a partir das 10 horas, "Webinar Sell Side: Alternativas para empresas e RIs", buscando ampliar e melhorar a cobertura de analistas.

O webinar contou com a participação de Luiz Roberto Cardoso, Superintendente do IBRI; Roberto Attuch Jr., CEO da INVESTMIND; Leonardo Alvarenga, COO da INVESTMIND; e Gregory Piccininno, Conselheiro da INVESTMIND.

O webinar teve o apoio de: BRIDGE; Faculdade FIPECAFI; e INVESTMIND.

Segue video no link abaixo:

http://www.ibri.com.br/Upload/Arquivos/Webinar.mp4

















Legenda da esquerda para a direita:
Leonardo Alvarenga, COO da INVESTMIND, e
Luiz Cardoso, Superintendente do IBRI

terça-feira, 4 de dezembro de 2018


IBRI REALIZA WEBINAR SOBRE ALTERNATIVAS PARA AMPLIAR COBERTURA DE ANALISTAS

O IBRI (Instituto Brasileiro de Relações com Investidores) realizará, em 05 de dezembro de 2018, às 10 horas, "Webinar Sell Side: Alternativas para empresas e RIs", buscando ampliar e melhorar a cobertura de analistas.

As mudanças do mercado financeiro dos últimos anos trouxeram uma dura realidade para as empresas: pouca ou nenhuma cobertura de suas ações.

A tecnologia e a Nova Economia estão trazendo alternativas profundas que buscam soluções para ampliar a cobertura de ações por parte dos analistas, abrindo janela colaborativa, descentralizada e transparente.

O webinar contará com a participação de Diego Barreto, Conselheiro do IBRI; Roberto Attuch Jr., CEO da INVESTMIND; Leonardo Alvarenga, COO da INVESTMIND; e Gregory Piccininno, Conselheiro da INVESTMIND.

O webinar tem o apoio de: BRIDGE; Faculdade FIPECAFI; e INVESTMIND Independent Insights.

Data: 05/12/2018
Horário: 10 horas
As inscrições para o webinar são gratuitas.
Inscrições gratuitas por e-mail: ibri@ibri.com.br
Vagas limitadas.

Credenciamento de Imprensa:
credenciamento@digitalassessoria.com.br

Assessoria de Imprensa e Comunicação do IBRI (Instituto Brasileiro de Relações com Investidores)
www.ibri.com.br
Rodney Vergili / Jennifer Almeida / Rafael V.Pereira / Natália Martins
(11) 5081-6064 / (11) 9 9123-5962
rodney@digitalassessoria.com.br